Em causa estavam declarações proferidas em 2016 sobre a venda do navio "Atlântida" pelos extintos Estaleiros de Viana do Castelo.