Bolsonaro fez a declaração em reunião interministerial de 22 de abril. Pela lei, nenhum presidente pode ter um aparato pessoal, particular, de informação.