O furacão Barry atingiu a terra firme neste sábado na costa da Louisiana, causando chuvas e ventos fortes no litoral do Estado, no sul dos Estados Unidos.

O fenômeno natural enfraqueceu e se transformou em uma tempestade tropical depois chegar à região de Intracoastal City, com ventos de até 112 km/ h, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês).

As cidades de Nova Orleans e Lafayette registraram as primeiras inundações em ruas e avenidas, enquanto milhares de pessoas foram retiradas de áreas consideradas arriscadas.

As autoridades fizeram um anúncio para que toda a população permaneça dentro de suas casas.

O presidente Donald Trump declarou estado de emergência por conta das previsões dos danos que o fenômeno meteorológico poderia causar.

Mais de 60 mil casas ficaram sem energia na manhã deste sábado. Todos os pousos e decolagens no Aeroporto Internacional Louis Armstrong foram cancelados.

Antes de tocar na terra, as rajadas de vento do Barry atingiram 120 km/ h.

As chuvas e os ventos são vistos como uma "ameaça à vida" dos habitantes da região, além de ter capacidade para causar inundações repentinas "potencialmente significativas" e transbordamento de rios na noite deste sábado.

Barry se formou na quinta-feira no Golfo do México a partir de uma tempestade tropical.

Nova Orleans prevê uma grande tempestade com chuvas torrenciais que podem deixar a cidade inundada. A região já foi atingida por fotes chuvas nas últimas horas.

Teme-se que o rio Mississippi, cujo fluxo tem estado acima do normal nas últimas semanas devido ao degelo e às fortes chuvas, possa transbordar em algumas regiões.

Também há a preocupação se as barragens que protegem Nova Orleans conseguirão resistir às más condições climáticas.

Muitas foram destruídas em 2005 com a passagem do furacão Katrina, que devastou a cidade e deixou mais de 1.800 mortos.

A declaração de emergência do presidente Trump libera recursos federais para lidar com as consequências do Barry.

Evacuações

As autoridades ordenaram que milhares de habitantes que vivem em áreas mais baixas deixem suas casas.

O prefeito de Nova Orleans, LaToya Cantrell, não emitiu uma ordem de evacuação em toda a cidade porque não é um furacão de categoria 3 ou superior.

Os moradores foram avisados ​​para se preparar para a tempestade, abastecendo suas casas de água potável e alimentos não perecíveis, bem como outros suprimentos de emergência.

O governador da Louisiana, John Bel Edwards, descreveu a tempestade como "muito severa", citando a advertência do NHC de que as enchentes podem ser potencialmente "fatais".

Haverá "muita chuva em grande parte de Louisiana", disse ele na quinta-feira.

"Há três maneiras pelas quais ocorrem enchentes em Louisiana: tempestades, rios com níveis altos e chuva. Teremos os três", acrescentou.