O ex-ministro da educação Fernando Haddad afirmou em seu Twitter que Abraham Weintraub cometeu crime ao pressionar o presidente do Inep para violar dados sigilosos de estudantes; ele disse: "Isto é Crime - A confusão que culminou na demissão do terceiro bozopresidente do Inep, Elmer Vicenzi, começou quando o ministro da Educação pediu acesso a dados sigilosos de estudantes, solicitação que foi negada pelo procurador do órgão"