Os dois principais favoritos, Novak Djokovic e Rafa Nadal, primeiro e segundo do mundo, se classificaram nesta sexta-feira para as semifinais do Masters 1000 de Roma, onde vão enfrentar Diego Schwartzman e Stefanos Tsitsipas, respectivamente.

Em uma jornada marcada na capital italiana pelos abandonos de Roger Federer (lesão na perna direita) e da número 1 do mundo Naomi Osaka (mão direita), Djokovic quase se despediu em uma partida que acabou na madrugada e teve até que salvar dois 'match points' para vencer o argentino Juan Martín Del Potro, nono do ranking, por 4-6, 7-6 (8/6) e 6-4.

Apesar de sua derrota, Del Potro, que pouco jogou em 2019 após sua fratura de rótula na parte final da última temporada, teve uma grande semana, o que reforça sua confiança a dez dias de Roland Garros.

Djokovic vai enfrentar Schwartzman (de 26 anos e 24º do ranking), que havia vencido o japonês Kei Nishikori, sexto do ranking da ATP, por 6-4 e 6-2, para alcançar sua primeira semifinal em Masters 1000.

No outro confronto, Rafa Nadal (2º) terá sua revanche contra Stefanos Tsitsipas (7º), seu carrasco em Madri.

As semifinais até agora têm sido o teto de Nadal na temporada europeia no saibro, já que também perdeu nessa fase em Montecarlo e em Barcelona.

"É bom voltar às semifinais e conseguir três vitórias seguidas", declarou o número 2 do mundo depois de vencer nas quartas de final seu compatriota Fernando Verdasco (38º) por 6-4 e 6-0.

"É minha quinta semifinal seguida. Em Indian Wells não pude jogar. Depois vieram as de Montecarlo, Barcelona e Madri, que perdi. Mas estar aí outra vez quer dizer que estou jogando em um bom nível", avaliou.

A dez dias do início de Roland Garros, Nadal conseguiu frear Verdasco, que teve três chances de quebrar o saque do astro com um empate em 4-4.

Depois disso Nadal acelerou e conseguiu vencer oito games seguidos, enquanto que Verdasco parecia perder suas energias.

- Federer abandona -

Oito vezes campeão em Roma, inclusive a do ano passado, Nadal terá como adversário nas semifinais o grego Stefanos Tsitsipas, que vai jogar mais descansado, já que se classificou sem jogar, devido ao abandono de Federer.

Tsitsipas derrotou Nadal no último fim de semana nas semifinais de Madri e depois o grego venceu Djokovic na final.

"Sei o que aconteceu em Madri. Conheço as soluções, mas executá-las não é fácil. A teoria sempre é mais fácil", disse Nadal, sorrindo.

"Simplesmente tenho que jogar bem. Se eu conseguir, tenho boas chances. Se jogar mal, não terei nenhuma chance, ou quase nenhuma", acrescentou.

Sobre seu futuro adversário, de 20 anos e sétimo do mundo, o rei do saibro garantiu que não está surpreso com seu grande momento.

"É normal que tenhamos jovens no auge. É um bom jogador. Cada ano faço prognósticos com minha equipe sobre quem estará no Top 10 no final da temporada. Eu coloquei o Tsitsipas. Não sou um gênio, simplesmente é um claro candidato. Aliás, ele começou o ano melhor do que eu pensava", continuou.

No torneio feminino, a holandesa Kiki Bertens (4ª) aproveitou o abandono por lesão de Naomi Osaka para chegar às semifinais, onde vai enfrentar a britânica Johanna Konta (42ª), que venceu em três sets (6-3, 3-6, 6-1) a tcheca Marketa Vondrousova (44ª).

Já outra tcheca, Karolina Pliskova (7ª), se classificou para as semifinais ao vencer a bielorrussa Victoria Azarenka (51ª) por 6-7 (5/7), 6-2 e 6-2.

Allí Pliskova vai enfrentar grega Maria Sakkari (39ª), que venceu a francesa Kristina Mladenovic (63ª) por 5-7, 6-3 e 6-0.